0800 70 45670 [email protected]
Descubra tudo sobre as tendências de moda pré-verão para 2020

Descubra tudo sobre as tendências de moda pré-verão para 2020

Estilo, inovação, personalidade. Por mais que cada coleção seja única, são as tendências de moda as maiores geradoras de ideias criativas. E já é hora de pensar no que vai rolar no pré-verão 2020.

Como um círculo vicioso entre criador e criatura, as tendências de moda pautam todo o planejamento para a próxima estação. E estas, por sua vez, criam e espelham as principais escolhas das ruas.

Mas é quando se tem acesso a análises transformadoras que o leque de oportunidades que se abre para o estilista reflete um conhecimento profundo do mercado.

Por isso as tendências de moda que procuramos para vocês são todas baseadas nas últimas inspirações da WGSN, um dos maiores portais para estilistas de todo o mundo.

Veja agora o que está por vir na moda pré-verão 2020 e inspire-se para causar e surpreender na próxima estação.

Cores suaves e looks monocromáticos são tendências de moda

São duas as principais tendências de moda em cores para o pré-verão 2020 feminino. Uma delas aponta para a sofisticação dos tons neutros e pasteis.

A outra foge das cores intensas de outras temporadas, ainda que saliente os tons fortes – embora suaves. Em ambas, o toque de calma e elegância está presente, assim como os looks monocromáticos.

Cores suaves e looks monocromáticos são tendências de moda Cores suaves e looks monocromáticos são tendências de moda Cores suaves e looks monocromáticos são tendências de moda

A tendência de moda é reforçar a ideia dos looks básicos e confortáveis, a simplicidade do luxo. Nesse universo, ganham destaque:

  • Azul – Em toda sua variedade, com especial destaque para o azul-purista em praticamente todos os estilos; e o azul digital, em uma visão futurista;
  • Lima fluorescente – Dando um toque de jovial vitalidade especialmente no visual monocromático e em peças de meia-malha e malha fina de tricô;
  • Rosa – Mais puxado para o azul do que para o vermelho (rosa-pálido, cerejeira), em peças casuais e de alfaiataria;
  • Vermelho – Saturado, puxado para o marrom, também em contrastes chamativos no sportwear;
  • Laranja-nítido – Na monocromia ou no contraste forte, como com preto, índigo ou chumbo;
  • Preto – Principalmente na monocromia e na combinação com o off-white;
  • Lilás adocicado e roxos – Em acessórios e peças clássicas;
  • Neutros – Marrons, beges e tons terrosos.

Estampas e grafismos na moda feminina

Minimalismo e conforto, sim, mas também individualidade. As tendências de moda do pré-verão 2020 mostram um movimento contrário à saturação do streetwear, com um movimento retrô à feminilidade. A vibe romântica e vintage toma conta das estampas e grafismos.

Estampas e grafismos na moda feminina Estampas e grafismos na moda feminina Estampas e grafismos na moda feminina

  • A estampa safári está em alta, mas vai além do animal print combinando com muitas folhas e paisagens, se desenvolvendo em uma espécie de invasão no toile de jouy. Valem várias estampas de animais em um mesmo look;
  • Transparências e estampas florais delicadas, especialmente as que lembram fantasias. Os florais de jardim substituem os tropicais;
  • Estampas retrô ganham força em recriações em zigue-zague, desenhos geométricos e flores;
  • Tiedye mais discretos, simples e localizados, principalmente em vermelho, branco e azul;
  • Babados e detalhes campestres na moda Boho dão um toque folclórico às coleções;
  • Lenços e listras substituem a estampa xadrez.

Padronagens e pontos de malhas femininas nas tendências de moda

As tendências de moda apontam para tricôs texturizados e malhas com pegada artesanal. No estilo retrô em alta, os tons neutros valorizam as estampas tradicionais.

No destaque do pré-verão 20, a marinheira moderna é mais enxuta. O destaque vai para o tricô, malhas artesanais, e mix de patchwork e crochê, que mantêm o foco no modern mariner refinado. Leveza e simplicidade dão o tom do estilo.

O animal print aparece em grande escala e tons pastéis, com ênfase na zebra. A sofisticação das listras é atualizada com cores contrastantes.

Padronagens e pontos de malhas femininas nas tendências de moda Padronagens e pontos de malhas femininas nas tendências de moda  Padronagens e pontos de malhas femininas nas tendências de moda

Itens básicos, como suéteres, ganham estrutura e relevo com canelados e pontos-trança estratégicos, sempre mantendo o toque minimalista.

Aplicações de letras também ganham destaque entre as tendências de moda da temporada.

Blusas de tecido são marcadas pela elegância e versatilidade

Peças tradicionais ganham novos itens no pré-verão 2020. As tendências de moda mantêm a elegância, versatilidade e funcionalidade nas blusas de tecido, que conversam bem com looks sofisticados ou casuais.

As blusas volumosas e esculturais dão lugar ao corte discreto e refinado, em algodão natural ou reciclado e linho. Opte por tecidos macios que dão conforto e com caimento evasê.

Entre os destaques estão gola laço, babados combinados com hiper decotes, detalhes segmentados, amarrações e mangas folgadas.

Blusas de tecido são marcadas pela elegância e versatilidade Blusas de tecido são marcadas pela elegância e versatilidade Blusas de tecido são marcadas pela elegância e versatilidade

Bustiês bem super femininos e detalhados se integram às peças sedosas e camisa de algodão folgada. Todo o volume deve ser realçado de forma minimalista.

Exceção para as mangas bufantes, que contrastam com hiper decotes nas costas e aceitam bem estampas ousadas e vibrantes para dar um toque maximalista.

Ao lado dos conjuntos, o look férias ganha destaque.

Malhas: silhueta em transição

As tendências de moda para as malhas mostram uma silhueta em transição. Gola alta, rolê ou careca, shape acinturado, ombros marcados, mangas com volume. É a era da extravagância delicada.

O vestido de verão reto e simples aparece apenas aumentando o cumprimento e mantendo a silhueta ajustada. No entanto, em tempos de transição ainda vale apostar nas malhas grandes e folgadas, com gola careca, canoa ou rolê.

Malhas: silhueta em transição Malhas: silhueta em transiçãoMalhas: silhueta em transição

Nas estampas, os grafismos estão em alta, assim como as listras náuticas, o ponto trançado e o jacquard. Cardigãs justos e curtos reaparecem ao lado dos grossos e compridos, assim como a malha polo e o suéter gola V folgado.

Peças de malha: elementos-chave para o pré-verão 20

Muito além de meras tendências de moda, as peças de malha são essenciais para a composição de looks de meia-estação. O ideal, aqui, é apostar em itens mais atemporais.

Para isso, inove em peças básicas, como detalhes na modelagem e nas mangas de camisetas brancas, e contornos nas mangas longas. Crie movimento em camisetas assimétricas ou drapeadas, por exemplo.

Peças de malha: elementos-chave para o pré-verão 20 Peças de malha: elementos-chave para o pré-verão 20 Peças de malha: elementos-chave para o pré-verão 20

Se quiser apostar em estampas, prefira as gráficas para camisetas básicas e blusas bem leves. O importante é ter elementos de sobra para investir em muitas combinações.

Simplicidade ousada nos detalhes e acabamentos

A inovação surge da repaginação de detalhes e acabamentos comuns. As tendências de moda mostram o resgate da feminilidade através de amarração frontal, babados e recortes vazados. Botões em toda a extensão das peças criam detalhes no design minimalista.

Menos é mais – menos nas roupas de festa. Essas surgem com o toque romântico das plumas, que dão um ar de excentricidade.

No dia a dia, franjas e barbicachos dão mais profundidade às peças bem urbanas. Já o patchwork ganha repaginação contemporânea.

Saias: midi segue como o comprimento mais comercial

As tendências de moda em saias mostram uma demanda cada vez maior por modelos que se adaptem à maioria das ocasiões. Com isso, os mais simples ganham destaque, assim como o comprimento midi se mantém como o mais comercial.

A ideia é investir em peças que possam compor looks que passeiam da manhã à noite. Vale a pena aproveitar as saias de plissê e as de evasê simples, que têm boa saída. Elas devem ser destaque na coleção de peças básicas.

Saias: midi segue como o comprimento mais comercial Saias: midi segue como o comprimento mais comercialSaias: midi segue como o comprimento mais comercial

Bolsos grandes chapados e acabamentos funcionais como fendas, trespassados e cintos alongados no mesmo material estão entre as inovações que merecem destaque.

Já para os fashionistas, vale a pena testar pequenas quantidades de saias longas, evasês e rodadas. E as midi chegam com visual retrô, botões e drapeados.

Vestidos: quando lazer e trabalho se confundem

Peças fáceis de usar, confortáveis e que versáteis. Nas tendências de moda para o pré-verão 2020, os vestidos devem atender tanto ao trabalho quanto o lazer.

Assim como nas saias, o midi se mantém firme na dianteira dos comprimentos, seja no estilo Boho seja nos mais volumosos.

Apesar de os modelos largos e folgados também se mantêm em alta, aumentam as silhuetas ajustadas, os shapes acinturados mais femininos e os drapeados, principalmente na alfaiataria e nos vestidos de festa.

No minivestido, as modelagens hiper soltas e volumosas trazem apelo comercial, em corte reto ou trapézio e cores vibrantes.

Vestidos: quando lazer e trabalho se confundemVestidos: quando lazer e trabalho se confundemVestidos: quando lazer e trabalho se confundem

Por outro lado, os detalhes artesanais revigoram peças de inspiração folclórica, assim como os babados e os vestidos campestres.

Outros que aparecem com destaque entre as tendências de moda da temporada são: o vestido-camisa, vestido-combinação usado com blusinha por baixo, vestido-túnica e os justinhos.

Ternos de verão: modelos folgados são a novidade

Modelagens mais generosas e folgadas são a novidade, mas há muito mais coisas novas a serem oferecidas na temporada. Vale dar ênfase nos modelos que enfatizam as curvas e a feminilidade.

Assim, o terno com cinto é alternativo à peça estruturada, conjuntos justos transitam bem de uma estação para outra, inclusive os com saia longa, que valorizam o corpo.

Túnicas sobre calças, peças longas sobrepostas, estampas e padronagens são grandes tendências de moda para o pré-verão 20. Outra opção para a temporada é o terno com bermuda, com modelagem justa pouco acima do joelho.

Ternos de verão: modelos folgados são a novidade Ternos de verão: modelos folgados são a novidade Ternos de verão: modelos folgados são a novidade

Nas saias mais longas, como as midi, não esqueça de equilibrar a silhueta com painéis, cintos e botões. Já no terno de abotoamento duplo na jaqueta longa e calça larga, a pegada mais descontraída promete fazer sucesso.

Mas não esqueça dos detalhes: referências utilitárias, bordas contrastantes e detalhes de amarrar também devem aparecer em ternos e conjuntos.

Conclusão

Todas essas dicas foram baseadas nas últimas inspirações da WGSN e refletem as principais tendências de moda das passarelas, feiras e moda das ruas.

Agregue ainda mais valor para suas coleções com as etiquetas exclusivas que só a Haco oferece com toda qualidade e modernidade. Clique aqui e descubra!

 

Tendência de moda: conheça diferentes formas de agregar valor às peças denim

Tendência de moda: conheça diferentes formas de agregar valor às peças denim

Agregar valor à sua coleção é criar diferenciais que façam com que o público-alvo se identifique com o seu produto. Uma das melhores formas de conseguir isso é através da aplicação da tendência de moda à sua coleção denim.

O material, aliás, já começa levando vantagem, já que é um clássico do mundo da moda. Mesmo assim, sair do lugar-comum é imprescindível para quem quer destaque no mercado.

Explorando o mundo da WGSN Denim, conseguimos captar muitas ideias de como valorizar suas peças investindo na identificação de marca e criando diferenciais dentro das principais tendências de moda.

Tendência de moda atual: adote o upcycling

Design, criatividade, inovação e alinhamento com o mercado. Qualidades e características que são indispensáveis a qualquer estilista – mas sempre se pode ir muito mais além.

Tendência de moda atual: adote o upcycling Tendência de moda atual: adote o upcycling Tendência de moda atual: adote o upcycling

Como reflexo do momento em que vivemos, a moda também incorpora valores da sociedade. Assim a sustentabilidade, um dos maiores pontos vitais do mundo moderno, é também uma das maiores tendências de moda.

O upclycling, ou reaproveitamento consciente, já tomou conta das passarelas, assim como das ruas. O conceito, que se transformou em movimento, ganha cada vez mais força, agregando valor às coleções de forma individualizada e criativa. Veja como.

Dê adeus ao desperdício

A tendência de moda é a moda consciente. O fast fashion fica cada vez mais distante em um mundo em que o reuso pode ser a receita de sobrevivência do meio ambiente. Abraçar a causa é ser humano, ser natural, ser inteligente – e ter estilo.

Nesse conceito, o desperdício não tem espaço. E ele começa já na modelagem, no corte, nos acabamentos. É preciso pensar no design criativo e enxuto no aproveitamento do tecido, reduzindo aparas e sobras.

Tendência de moda: Dê adeus ao desperdício Tendência de moda: Dê adeus ao desperdício Tendência de moda: Dê adeus ao desperdício

Recrie seu processo criativo. Repense antes de riscar, reimagine antes de cortar, reavalie antes de fechar. Caso queira aprofundar-se no assunto, indicamos o livro Moda com Propósito: manifesto pela grande virada, do escritor e empreendedor André Carvalhal.

Escolha tecidos reciclados 

A escolha do tecido é um dos pontos altos do upcycling como tendência de moda. Desconstrução e reconstrução são palavras-chave, onde peças antigas se abrem, se unem e se fundem com outras para uma criação renovada.

O que sobrou da coleção passada e está parado é a matéria-prima perfeita para ser combinada com tecidos reciclados. Não só no seu estoque, mas também nos das fábricas.

Escolha tecidos reciclados upcycling como tendência de moda Escolha tecidos reciclados upcycling como tendência de moda Escolha tecidos reciclados upcycling como tendência de moda

Além de economizar aproveitando o que sobrou da sua coleção, você reduz gastos comprando o material mais barato dos próprios fabricantes.

Agregue valor também utilizando jeans reciclados, produzidos a partir de 30% a 100% de material reaproveitado. Um passo largo para a preferência do consumidor, cada vez mais exigente e sustentável.

Tire vantagem dos designs híbridos

Uma das grandes vantagens do denim é sua combinação fácil com outros tecidos e tirar vantagem disso é necessário, essencial.

Uma grande tendência de moda é o design híbrido, totalmente presente nas passarelas, ruas e feiras de moda.

Misture pedaços de peças já utilizadas de outros tecidos, outras cores, estamparias. Não existe combinação impossível. O mix de texturas cria diferenciais e agrega valor à coleção.

Contrastes e imperfeições devem ser evidenciados. Não esconda, crie destaques. Baseie suas peças nas principais tendências de moda, investindo em itens básicos que têm o espírito do upcycling.

Saias, calças, blazeres, coletes e vestidos. Crie contrastes de claro e escuro, texturas e cores de forma alinhada à sua proposta. Nos casacos e jaquetas, por exemplo, painéis de tecidos diferentes ganham apelo funcional.

Inspire-se nas grandes marcas, procure ficar antenado com o que está rolando nos principais eventos. Leia livros, informe-se, estude. Lembre-se que sua criatividade deve estar alinhada às principais tendências de moda, mas aprender com a História é fundamental.

Trend alert: agregue valor com os enfeites certos no denim

Outra grande tendência de moda tem um toque ao mesmo tempo retrô, conceitual e futurista: os enfeites nos jeans femininos e masculinos.

Vinda diretamente da era disco, a extravagância dos brilhos exagerados ganha uma pegada sustentável com os jeans reciclados e os paetês biodegradáveis. Aposte em tons ofuscantes que tomam toda a peça ou destacam painéis.

Trend alert: agregue valor com os enfeites certos no denim Trend alert: agregue valor com os enfeites certos no denim Trend alert: agregue valor com os enfeites certos no denim

Por outro lado, strass e tachas aplicados em estruturas acolchoadas aparecem na modelagem maxi, outra releitura dos anos 80. Vale destaque para o denim cru, sem ou com lavagem mínima.

Pedrinhas de strass devem ser aplicadas em desenhos, realçando frases ou criando desenhos. Na peça inteira elas dão o tom da festa. Inspire-se na icônica Juicy Couture e brinque de fazer brilhar.

Aqui a tendência de moda é “mais é melhor”. Exagere, combine logotipos com elementos de brilho, pérolas gigantes, franjas de correntes. O streetwear vira luxo e extravagância.

Incorpore diferenciais com a identificação de marca

A etiqueta certa realça a identificação da sua marca e agrega valor. Mais do que uma tendência de moda, a inovação tecnológica é definitiva e transformadora. Tirar vantagem disso é praticamente uma obrigação no mundo da moda.

Para isso, defina formatos e materiais de acordo com a sua coleção, incorporando a identificação de marca ao design.

Aposte nas etiquetas personalizadas para enriquecer detalhes. Crie um visual único combinando acabamentos, cores, bordados ou estamparias exclusivas com alta definição e qualidade.

Incorpore diferenciais com a identificação de marca

Usar os cadarços coloridos ou cores mais neutras pode ser um grande diferencial para suas peças denim. É uma super tendência de moda e que domina as passarelas, além de serem cadarços lindos e estilosos, agregarão ainda mais valor para suas peças denim, e que podem ser personalizadas com a cara da sua marca e coleção.

Diversifique e surpreenda com tags nos mais diferentes formatos e materiais – de acordo com cada nicho da sua coleção de moda.

Use a criatividade para destacar sua marca e inovar com tecnologia de ponta em adesivos termocolantes e autocolantes, transfers, bandeirinhas, plaquinhas de metal e lacres de autenticidade.

Defina sua estratégia e incorpore a identificação da sua marca ao denim de forma bonita, confortável e durável. A etiqueta certa está sempre lá: ela transforma os detalhes em pontos fortes valorizando a peça esteticamente e aumentando seu valor de mercado.

Denim: o tecido que nasceu para ser uma eterna tendência de moda

Quando, em 1853, Levi Strauss decidiu criar uma roupa resistente para a mineração, não imaginou que seria o responsável por uma das maiores tendências de moda ao longo dos tempos.

A desconfortável lona de sua ideia inicial foi substituída por um tipo de algodão sarjado francês, na época conhecido como Tecido de Nimes – ou Denim. Mais de 30 anos depois a ficha de que tinha alguma coisa especial nas mãos já tinha caído.

Levi Straus decidiu então tingir as peças de azul com uma planta chamada indigus – criando assim outro ícone da História da moda, o indigus blue.

Mas foi mesmo a partir da década de 30 que se tornou impossível segurar a moda, já que as calças foram parar no figuro dos filmes western.

Dali para a fama mundial 20 anos depois foi um pulo, capitaneada como símbolo de rebeldia por celebridades como James Dean, Marlon Brando e Elvis Presley.

Ícone criado, usado e consagrado, o denim tem sua história própria, realidade melhor do que qualquer filme. Uma história que quanto mais se conhece, mais apaixonante se torna essa eterna tendência de moda.

Quer descobrir outras formas de agregar valor à sua coleção de moda? Clique aqui e descubra tudo sobre o assunto!

Trend House #10 A décima edição da nossa revista Trend House traz um conteúdo exclusivo sobre a nova coleção de books Haco na Visão do Estilista Alexandre Herchcovitch. Acesse agora!

Conheça os eventos de moda que acontecem no Brasil

Conheça os eventos de moda que acontecem no Brasil

Não importa em qual segmento do mundo fashion você trabalhe, acompanhar os eventos de moda que rolam pelo Brasil é fundamental. Mais do que apresentar tendências, eles são um verdadeiro termômetro da sociedade, um reflexo do que está acontecendo – e do que está por vir.

Além disso, há toda a parte tecnológica, claro, onde são apresentadas as últimas novidades do mercado. Isso sem falar na genialidade criativa e surpreendente de alguns designers de moda e do networking. Afinal, cada evento é uma oportunidade incrível de travar novos conhecimentos, parcerias e amizades.

Veja os eventos de moda que acontecem no Brasil e programe-se.

Principais eventos de moda no Brasil

  1. São Paulo Fashion Week (São Paulo – SP)

Maior evento de moda do país, o mais importante da América Latina e o quinto maior do mundo, o São Paulo Fashion Week é um acontecimento obrigatório para quem vive da moda.

Principais eventos de moda no Brasil: São Paulo Fashion Week

Criado em 1966, hoje seu maior diferencial é a aproximação com o comércio varejista. Disputadíssimo, o evento conta com a participação de estilistas famosos mundialmente, como Alexandre Herchcovitch, parceiro da Haco, e Reinaldo Lourenço.

O evento é ainda o responsável pelo lançamento de modelos como Gisele Bündchen, Isabeli Fontana e Lucas Mascarini.

O São Paulo Fashion Week acontece duas vezes por ano: entre março e abril para as coleções primavera/verão e entre outubro e novembro para as coleções outono/inverno.

  1. DFB – Dragão Fashion Brasil  – (Fortaleza – CE)

O DFB – Dragão Fashion Brasil acaba de completar 20 anos em 2019. Criado por Claudio e Elena Silveira, o acontecimento anual geralmente acontece em maio e é hoje a maior fashion week autoral da América Latina.

Principais eventos de moda no Brasil: DFB - Dragão Fashion Brasil

Tendo como base os maiores nomes da moda nordestina, este ano o evento contou com designers como David Lee, Lindebergue Fernandes, Almerinda Maria, Melk Z-Da, Wagner Kallieno, Jeferson Ribeiro, Ronaldo Silvestre, Kallil Nepomuceno, Rendá por Camila Arraes e D’Aura.

Nos últimos anos o evento de moda tem investido pesado no beachwear, seguindo o conceito, segundo Claudio Silveira, de que para o cearense a praia é mais do que um acaso geográfico, mas uma definidora da vocação de empreendedorismo e inovação do povo.

O evento mantém ainda uma tradição, o Concurso dos Novos, que reúne estudantes de faculdades do Ceará, Pará, Paraná, Piaui, Rio de Janeiro e São Paulo.

  1. Inspira+ (São Paulo – SP)

Para quem está em busca de novidades nos eventos de moda, o Inspira+ não pode faltar. O único salão de design e inovação de materiais da América Latina lança a cada semestre mais de mil materiais desenvolvidos pelos participantes do evento.

O evento acontece em dois dias em São Paulo para empresários dos segmentos calçadista, confecção e moveleiro, além de estilistas, designers e formadores de opinião.

Principais eventos de moda no Brasil: Inspira+

Este ano o evento, que aconteceu no início de julho, contou com mais de 180 expositores de todo o país com soluções em tecidos, acessórios, solados, laminados, couros, muito mais para os setores de moda e mobiliário.

  1. Casa de Criadores (São Paulo – SP)

A Casa dos Criadores é um dos principais eventos de moda autoral que acontece duas vezes por ano em São Paulo – geralmente em julho/agosto e novembro/dezembro.

Considerado o maior acontecimento lançador de novos estilistas da moda brasileira, a Casa de Criadores surgiu em 1997 com foco na criação autoral genuína e a revelação de novos talentos.

A Haco esteve presente em várias edições sempre apoiando os novos estilistas, como Igor Dadona, Ben e Diego Malicheski da marca Rocio Canvas.

Principais eventos de moda no Brasil: Casa de Criadores

Hoje o movimento incorpora estilistas e criadores de todos os estados, nos mais variados estágios da carreira. Marcelo Sommer, Cavalera, Ronaldo Fraga, Marcelo Quadros, Carlota Joaquina, André Lima, Karlla Girotto, Mário Queiroz, V.Rom e Lorenzo Merlino são alguns dos nomes lançados pela Cassa de Criadores.

A 45ª edição da Casa de Criadores aconteceu de 3 a 8 de julho de 2019.

  1. Denim Meeting

O Denim Meeting acontece em cidades brasileiras consideradas os principais polos da indústria denim, como Balneário Camboriú (SC), São Paulo (SP), Maringá (PR), Goiânia (GO) e Caruaru (PE).

Referência no mercado jeanswear, o Denim Meeting é um dos eventos de moda que não podem faltar no calendário de quem quer ficar alinhado com as principais tendências. Foi no Denim Meeting que a Haco fez o lançamento do seu Book de produtos 2019.

Principais eventos de moda no Brasil: Denim Meeting

Principal encontro dos protagonistas da indústria têxtil, o evento reúne exposição, palestras, entrevistas, workshops e talkshows para sintonizar tendências nacionais e internacionais ao contexto de cada região. A próxima edição acontece no dia 7 de agosto, em Maringá.

  1. Moda Rio Moda (Rio de Janeiro – RJ)

Considerado um dos eventos de moda mais importantes do país, Rio Moda Rio chegou em 2016 em substituição à Rio Fashion Week, mas o primeiro desfile, que seria em 2017, acabou sendo adiado e só aconteceu em janeiro de 2018, no Píer Mauá.

Principais eventos de moda no Brasil: Moda Rio Moda

A nova formatação apresenta grifes nacionais, mas é também voltada a outras formas de cultura, como a gastronomia e a música. A ideia é manter o espírito carioca com bastante referências cotidianas na passarela, mas sempre com muito luxo e glamour.

  1. ID Fashion (Curitiba – PR)

Com sua quarta edição em setembro de 2018, o ID Fashion se consolida nos cenários dos melhores eventos de moda. O encontro reúne marcas tradicionais e já tradicionais no mercado ao lado de novos nomes do cenário da moda.

Principais eventos de moda no Brasil: ID Fashion

Confira aqui o desfile das marcas mais representativas do mercado conforme o site do ID Fashion:

  • Catwalk: Desfiles intimistas, com apresentações das coleções das marcas mais representativas e originais do mercado de moda paranaense, realizados em um ambiente lúdico e inspirador.
  • Living Lab & Store: Espaço de exposição interativa e comercialização das coleções das marcas participantes. Uma ação que proporciona aos empresários a oportunidade de relacionamento e feedback de consumidores, formadores de opinião e de especialistas do setor.
  • User Experience: Uma mostra para o grande público dos bastidores e dos processos por trás da indústria da moda, por meio de espaços de vivências e experimentações durante o evento. Alinhado ao tema, e por meio de parcerias, o User Experience desta 4ª edição traz um hackathon de moda, com o intuito de integrar novas tecnologias ao universo do vestuário (wearables) e do varejo de moda.
  • Id Talk: O ID Talk é um bate-papo interativo, mediado por especialistas, com a presença de personalidades e profissionais renomados da indústria da moda nacional. O objetivo é provocar reflexões sobre temas pertinentes ao setor e ao consumo contemporâneo.
  1. São Paulo Prêt à Porter (São Paulo – SP)

Mais um dos eventos de moda que já conquistaram reconhecimento internacional, o São Paulo Prêt à Porter é uma feira que tem como principal foco a criação de oportunidades de negócios para pequenas indústrias e confecções.

Principais eventos de moda no Brasil: São Paulo Prêt à Porter

Para isso, o evento aposta na integração de fornecedores, expositores e comerciantes mundiais, acontecendo 100% integrada à Couromoda, no Expo Center Norte. A próxima feira anual acontece de 13 a 15 de janeiro de 2020.

  1. Capital Fashion Week (Brasília – DF)

Criado em 2005, o Capital Fashion Week ocorre anualmente em Brasília, geralmente em dezembro. Como um dos maiores eventos de moda do país, tem como principal foco o lançamento nacional de jovens estilistas da região centro-oeste.

Principais eventos de moda no Brasil: Capital Fashion Week

Estes, por sua vez, são selecionados através do concurso Novos Talentos, com a orientação do estilista Jum Nakao e com desfiles patrocinados pelo CFW. O evento procura ainda a valorização das fábricas e confecções de joias, bolsas, sapatos, acessórios e artesanato em geral.

  1. Minas Trend (Belo Horizonte – MG)

O Minas Trend é um dos eventos de moda mais importantes do país, tornando-se referência em pré-lançamentos. Em abril de 2019, a 24ª edição apresentou as tendências para a primavera/verão 2020.

O principal foco do acontecimento é fomentar a moda mineira com base na inclusão e na sustentabilidade. Além dos desfiles, o evento conta com atrações culturais, gastronômicas, palestras e exposições.

Principais eventos de moda no Brasil: Minas Trend

Ao reunir no mesmo lugar expositores de vestuário, calçados, bolsas, joias e bijuterias o Minas Trend se torna um enorme salão de negócios para a indústria da moda.

  1. Festival do Jeans Toritama (Toritama – PE)

Em sua 18ª edição, o Festival do Jeans Toritama se consolida cada vez mais no calendário dos eventos de moda.

Sua última edição, de 2 a 4 de maio de 2019, reuniu 20 mil pessoas em torno das principais tendências outono-inverno de 60 marcas parceiras. No total foram quase 30 desfiles, 20 marcas em exposição em 55 stands e mais de uma dezena de shows musicais.

Principais eventos de moda no Brasil: Festival do Jeans Toritama

O maior encontro de moda de Pernambuco foi criado em 2001 pela Prefeitura para impulsionar a produção local. Hoje a cidade de Toritama responde por 16% da produção total do jeans nacional.

Além dos eventos de moda há várias formas de buscar inspiração para suas criações. Confira aqui 10 dicas de livros de moda que vão ajudar a ter uma visão mais global do mundo fashion!

Gestão ambiental: saiba o que fazer com os resíduos têxteis

Gestão ambiental: saiba o que fazer com os resíduos têxteis

A gestão ambiental de resíduos têxteis têm sido um dos maiores desafios enfrentados pelo setor. E não é para menos: o Brasil é o quarto maior parque produtivo do mundo, de acordo com os dados da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit).

No entanto, várias iniciativas criativas têm mostrado que não só essa gestão ambiental é viável, como pode ser muito lucrativa.

O descarte correto dos resíduos têxteis vai além da educação ambiental, transformando-se em renda extra para a própria indústria e também diferenciais perante um público cada vez mais exigente por soluções sustentáveis.

Mas afinal, o que são os resíduos têxteis?

Toda sobra de produção ou restos que parecem não terem mais utilidade são resíduos têxteis – que não só devem ser descartados adequadamente como podem, sim, ser reaproveitados.

A questão é tão séria que há, inclusive, uma lei que determina o máximo de reaproveitamento, reciclagem e minimização dos resíduos têxteis a Lei 12.305/2010 – Política Nacional de Resíduos Sólidos.

A falta de gestão ambiental, portanto, seja por falta de informação ou pura negligência, pode ser responsabilizada criminalmente.

Por outro lado, a própria gestão ambiental dos resíduos têxteis traz vários benefícios para a indústria.

Um deles, por exemplo, é a geração de um desenvolvimento sustentável, identificando deficiências do processo produtivo que podem evitar custos desnecessários e desperdícios.

Da mesma forma, a coleta seletiva eficiente pode ajudar as indústrias têxteis a fazerem mais dinheiro.

Aparas e retalhos podem ser utilizados não só pela própria empresa, mas também em outras tipologias industriais, como a automobilística, fabricação de barbantes, mantas acústicas, produtos esportivos, artesanatos etc.

Apesar disso, a maioria acaba indo para o lixo comum, sobrecarregando os aterros sanitários.

De acordo com a Abit, estima-se que no mínimo sejam geradas 170 mil toneladas de resíduos têxteis por ano no país. O cálculo toma por base uma perda média de 10% do tecido no processo de corte para a confecção.

Desse total, ainda segundo a Associação, 40% são processados por empresas de reciclagem, mas a maioria, 60% (cerca de 100 mil toneladas) são descartados nos aterros sanitários.

Gestão ambiental deve fazer parte da cultura

A educação ambiental deve fazer parte da rotina das indústrias têxteis. Dados de 2016 da Inteligência de Mercado (Iemi) mostram que no mercado de vestuário brasileiro é o segundo maior empregador, atrás apenas da Indústria de Transformação.

No total, são mais de 23 mil indústrias gerando mais de 1,10 milhão de empregos diretos e cerca de 6 bilhões de peças produzidas.

Gestão ambiental deve fazer parte da cultura

Não fica difícil imaginar a quantidade de resíduos têxteis gerados. A gestão ambiental deve, portanto, atuar em diversas frentes. Uma delas é a adoção de medidas que reduzam a produção de retalhos.

Para isso, o primeiro passo é uma mudança de mentalidade. Cada retalho, na verdade, um dia foi comprado como matéria-prima, portanto aproveitá-los ao máximo possível é aumentar o retorno sobre investimento.

Essa redução do desperdício deve ser feita já no planejamento do corte, otimizando o aproveitamento dos tecidos e dos moldes. O ideal é que a perda não chegue a 10%.

Por outro lado, o reaproveitamento precisa ser bem planejado. Há vários tipos de resíduos têxteis que podem contaminar esses retalhos – aí sim tornando-os inúteis para o mercado comprador ou de difícil gestão ambiental. Separá-los e acondicioná-los da forma correta é fundamental.

Por fim, o próprio processo produtivo deve ser repensado de forma a abarcar novos produtos a partir desses retalhos.

Um exemplo de sucesso é o projeto Retrama, desenvolvido pela Fundação Hermann Hering, em Blumenau. Os resíduos têxteis da Hering que seriam jogados fora são transformados em bolsas, cachepôs, chaveiros, jogos americanos, aventais, vasos, etc. Os produtos são feitos de forma artesanal por costureiras aposentadas de cooperativas parceiras da Fundação.

Assim, retalhos tanto podem ser utilizados como detalhes dentro das novas coleções, para a confecção de outras peças ou ainda comercializados com ONGs de apoio a artesãos. Confira aqui mais detalhes sobre o Projeto Trama Afetiva, da Fundação Hermann Hering.

Indústrias têxteis dão bons exemplos de gestão ambiental

Ainda que sejam minoria, não faltam bons exemplos de gestão ambiental, assim como o da Hering. Veja alguns cases de sucesso.

Vicunha Têxtil: reaproveitamento de fios e orientação ao consumidor

A Vicunha Têxtil, por exemplo, segue um rigoroso Sistema de Gestão Ambiental (SGA) potencializando a utilização dos recursos naturais, reduzindo a geração de resíduos e garantindo o perfeito armazenamento e destinação responsáveis.

Para se ter uma ideia, a implantação de um de seus programas ambientais na unidade 1, produtora de índigo no Distrito Industrial de Maracanaú (CE), registrou um ganho médio de 890 mil metros de tecido ao ano.

Através de um processo otimizado, toneladas de fios que antes eram transformadas em estopa passaram a se tornar tecido de primeira qualidade.

Além de produtos alinhados com a proteção ambiental, os consumidores são também orientados a agir de forma sustentável. Todas as etiquetas dos produtos Vicunha, por exemplo, trazem instruções sobre o descarte correto dos resíduos têxteis.

Farm: upcycling com doação de retalhos para artesãs

A Farm está sempre falando sobre sustentabilidade com seus consumidores. No mês de aniversário as clientes VIP Adoro Farm recebem capas de almofadas feitas pelas artesãs do Toque de Mãos e produzidas com tecidos reaproveitados.

A solução de upcycling rende cerca de R$ 7 mil a mais para cada artesã. No total são 70 kg de retalhos doados mensalmente para o Toque de Mãos, da rede Asta. A parceria, que teve início em abril de 2018, já reaproveitou mais de 4 mil quilos de tecidos que iriam para o lixo.

No total a parceria abrange 28 grupos produtivos do Rio de Janeiro, que têm como compromisso retirar os sacos na data marcada, não utilizar os tecidos para a confecção de roupas e colocar a etiqueta da parceria em cada produto.

Altenburg: projeto Arte Social em parceria com a Prefeitura

Em Blumenau a fábrica de roupas de cama Altenburg criou o projeto Arte Social em parceria com a prefeitura local. Através da doação de retalhos para grupos produtivos assistidos pelo programa são confeccionadas almofadas com formatos de peixe, aplicações de fuxico e tirinhas de tecido.

O lucro com a venda é revertido para as comunidades carentes. Assim, 50% são destinados a entidades de Blumenau e os outros 50% às cidades em que os produtos são vendidos.

Brandili Têxtil: fios ecológicos a partir dos resíduos têxteis

A fabricante de roupas infantis Brandili tem cerca de 20 procedimentos e ações com foco na preservação ambiental e na redução do impacto no meio-ambiente. Uma das medidas é o reaproveitamento de resíduos têxteis para a fabricação de fios ecológicos.

O processo conta com empresas parceiras que colaboram para a transformação dos resíduos têxteis e garrafas PET em malhas de fios ecológicos. Como resultado, além da redução do impacto ambiental, houve geração de empregos para a fase de triagem e redução de cerca de R$ 15 mil mensais em custos com transporte e uso de aterros sanitários.

Hering: linha de produtos alternativos

A já citada Hering é um ótimo exemplo de boa gestão ambiental de resíduos têxteis e vai muito além da lojinha com produtos alternativos.

Em 2016 a Fundação Herman Hering criou o projeto Trama Afetiva, que orienta estudantes e profissionais para as práticas da chamada economia afetiva.

A primeira edição do projeto reuniu nomes como o de Alexandre Herchcovitch, parceiro da Haco, Marcelo Rosenbaum e Patrícia Centurion.

A experiência colaborativa que acontece sob a batuta do jornalista e diretor criativo Jackson Araujo gira em torno da reciclagem com foco em design, moda e empreendedorismo.

Na segunda edição, em 2018, o foco foi o reaproveitamento de malhas de algodão de estoques antigos e de resíduos têxteis gerados pela Cia. Hering.

Gestão ambiental deve fazer parte da cultura

Além de Alexandre Herchcovitch e Marcelo Rosenbaum, que repetiram a dobradinha, participou ainda a estilista Itiana Pasetti, co-fundadora da marca Revoada, que reutiliza câmaras de pneus e nylon de guarda-chuvas como matérias-primas para produzir bolsas, mochilas e carteiras.

No final de 2017 a Fundação Hermann Hering e a Trama Afetiva criaram uma startup de moda dentro da própria Hering para discutir a reutilização do resíduo têxtil.

Seis meses depois surgiu o projeto Folha, que lançou sua primeira coleção feita apenas com material já existente. Para os idealizadores, é um ganho duplo: mais geração de dinheiro e ganho de espaço.

Upcycling dentro do upcycling

Por outro lado, o setor de talharia da Hering repassa retalhos e sobras de tecidos tanto para os trameiros criarem novos produtos, quanto para as cooperativas parceiras que reproduzem os materiais desenvolvidos.

No entanto, essa mesma produção acaba gerando novos resíduos têxteis, micro sobras que já não têm possibilidade de uso. Entra em cena então uma nova parceria, dessa vez com a Eurofios.

A empresa recebe essas micro sobras, separa, seleciona e consegue reciclar ainda mais desfibrando tudo e criando novos fios. Hoje a empresa é a maior do Brasil na produção de barbantes ecológicos.

As cores, por sua vez, são sólidas e resultantes apenas da seleção dos resíduos têxteis, evitando a utilização de água e de tingimentos no processo de produção.

Gestão ambiental: menos desperdício, mais dinheiro, sustentabilidade e valor agregado

Qualquer investimento em gestão ambiental feita pelas indústrias têxteis está longe de ser um gasto, mas um ganho de diversas formas.

Havendo menos desperdício no corte e na modelagem, há a valorização da matéria-prima.

Dessa forma há redução dos resíduos têxteis, o que, por si só já gera redução nos gastos – com perdas, transporte e uso de aterros sanitários.

Gestão ambiental deve fazer parte da cultura

Assim é menor o impacto ambiental, mas também maior a economia da empresa.

Por outro lado, o reaproveitamento dos resíduos têxteis – seja em novos produtos, venda para outras empresas, ou doação para projetos sociais – gera renda que pode ser revestida em qualquer setor.

Ao se tornar um agente multiplicador de educação ambiental e atitudes sustentáveis, como através de informações de descarte responsável nas etiquetas, por exemplo, há geração de valor para o consumidor.

A gestão ambiental dos resíduos têxteis se torna um ciclo de benefícios praticamente inesgotáveis para as indústrias têxteis. Basta ter vontade.

Aproveite para conhecer as dicas de Alexandre Herchcovitch para agregar mais valor à sua coleção de moda e descubra como conquistar de vez seu público-alvo!

Identificação de marca: veja o que rolou na revista Trend House da Haco 2019

Identificação de marca: veja o que rolou na revista Trend House da Haco 2019

Quem trabalha com moda sabe o quanto é importante ter uma marca solidamente identificada no mercado – assim como se manter informado com as últimas tendências da área. Por isso, a revista Trend House da Haco 2019, uma das maiores formadoras e divulgadoras de opinião do mundo fashion, caprichou ainda mais na sua 10ª edição.

Não dá para contar tudo, mas a gente resolveu fazer um apanhado dos assuntos principais só para dar um gostinho de quero mais. Por isso, se você sabe o peso que a identificação de marca tem no sucesso da sua coleção, com certeza vai querer se ligar no que vem por aí. Olha só o que rolou! 

Trend House dá dicas de criatividade: Fashion Thinking!

Nessa sessão a CEO e fundadora da Trendesett, Tamara Sbroglio, dá uma super dica para tornar seu produto ainda mais atraente e desejado sem romper com os padrões já estabelecidos da empresa: usar o Fashion Thinking.

O conceito inovador sugere adotar um modelo estratégico de negócios pelo olhar do designer de moda. Cheio de criatividade, o truque é pensar fora da caixinha para conseguir resultados surpreendentes – ainda de olho nas métricas de vendas.

Como conciliar isso tudo? É aí que entra a expertise de Tamara Sbroglio, que dá um verdadeiro passo a passo para chegar lá. Imperdível para quem sabe como é importante estar sempre se reinventando no mundo da moda.

Vendedor nato: Ciro Bottini compartilha seu talento

Criar é uma delícia, mas sem venda não tem negócio. Ciro Bottini, o mestre de vendas do canal Shoptime, conta com exclusividade para a Trend House como chegou ao ponto de maestria em vendas que tem hoje.

No artigo, Bottini conta um bocado da sua história, recheada de toques super bacanas e importantes para quem quer se destacar no setor – ou treinar uma equipe de vendas matadora.

Com mindset exemplar e muito intuição, Bottini mostra o seu “jeito de fazer as coisas” e dá dicas para lá de interessantes para vencer desafios.

Alexandre Herchcovitch imprime seu olhar no novo Book Haco

O Book Haco é um referencial quando o assunto é identificação de marca e o primeiro desse ano traz uma parceria incrível com o estilista Alexandre Herchcovitch. O mago fashion uniu seu olhar inovador à tecnologia Haco para criar materiais para identificação de marca cheios de estilo.

Dessa parceria de experts recheada de novas matérias-primas, tendências em conceitos e aplicações inspiradoras nasceram nove segmentos de identificação de moda: Premium, Alfaiataria, Denimwear, Activewear, Workwear, Footwear, Underwear, Swimwear e Kidswear.

Na Trend House 2019 você conhece uma prévia de cada uma delas, confere como rolou todo o processo criativo e ainda fica por dentro da opinião de Alexandre Herchcovitch sobre as principais tendências em materiais e etiquetas para roupas.

Top 10 Haco não poderia faltar na Trend House

O sucesso é feito de parcerias e apoios e a Haco faz questão de incentivar estilistas e marcas. A Trend House traz os Top 10 criativos que a empresa apoia, contando um pouquinho do universo de cada um.

Nessa seção você vai saber um pouco mais sobre À La Garçonne, Ahlma, David Lee, Diego Fávaro, Felipe Fanaia, Iarocheski, Igor Dadona, Lucas Leão, New Gobbi e Rocio Canvas.

#UniversoHaco: saiba mais sobre a empresa

A revista Trend House da Haco 2019 também traz um pouco sobre o universo Haco, sempre presente nas grandes feiras e eventos dos maiores centros de moda do mundo.

A seção mostra a atuação da Haco em mais de 40 países ao longo de mais de 90 anos de história, partindo de um parque industrial de 40 mil m².

Lá você sabe um pouco mais sobre a produtividade de 6 bilhões de etiquetas para roupas e a maior gama de acabamentos para diferenciar seus produtos e que fazem da empresa uma liderança reconhecida pelo mercado no segmento de etiquetas tecidas.

Hoje a Haco se orgulha de ser a única empresa do ramo, no Brasil, equipada para chegar à cor que você imagina.

Entre os diferenciais da Haco, está o RFID, um modo inteligente de controle e gerenciamento de informações através das etiquetas, impactando de forma positiva na gestão de estoques e na cadeia de suprimentos da indústria têxtil.

Assim, a Haco oferece vantagens exclusivas e competitivas que se traduzem em benefícios desde a indústria até o consumidor final.

Conheça integralmente o conteúdo da Trend House clicando aqui e comece a colecionar diferenciais para a sua identificação de marca!

ALEXANDRE HERCHCOVITCH + HACO

ALEXANDRE HERCHCOVITCH + HACO

Estamos muito felizes em compartilhar a nossa nova parceria com o estilista Alexandre Herchcovitch, que é oficialmente o embaixador da Haco e também parceiro de criação.

Durante a nossa última convenção de vendas aconteceu esse mês, onde rolou o lançamento da nova coleção e comemoração dos +90 anos Haco, o Alexandre esteve presente para bater um papo com o nosso time de vendas, juntamente com a equipe de marketing e criação, e também oficializar a novidade da parceria.

Logo após a palestra, fizemos duas perguntinhas para o Alê, para entender melhor sobre seus processos criativos, sua visão do mercado de moda e suas expectativas com a parceria Alexandre Herchcovitch + Haco.


Haco:

Alê, sabemos que você é um nome consolidado na moda brasileira. Como você se mantém atualizado em um mercado tão concorrido?

Alexandre H.:

Saber como as pessoas estão consumindo é o meu interesse maior. Hoje eu me mantenho atualizado pesquisando sobre comportamento de consumo, muito mais do que moda em si, claro que eu acompanho os desfiles, as tendências de cores e afins, mas acredito que esse é o caminho para produzir algo realmente novo.

Haco:

Nos conta um pouco sobre o que você espera da nossa nova parceria com a Haco?

Alexandre H.:

Eu acho muito inovador da parte da Haco, estar convidando um estilista para uma colaboração, a criação e a venda são dois universos extremamente ligados, mesmo que às vezes pareçam distantes. Eu espero primeiramente aprender sobre a cultura da Haco, as tecnologias e me ambientar com todos os setores, desde criação até a produção. Meu foco é dar insights criativos para o time de criação e colaborar no desenvolvimento de novos produtos que diferenciam ainda mais a Haco no mercado de moda.

O principal objetivo da colaboração é explorar novas formas de design e aplicá-las em nossas novas linhas de produtos, reafirmando o compromisso Haco com a inovação, e também fortalecendo nossa linguagem de moda através da expertise do Alexandre. Acompanhe nossas redes sociais para saber mais novidades sobre esse projeto incrível e todas as novidades do #universohaco.

HACO LANÇA SÉRIE DE VÍDEOS VOLTADOS AO MERCADO DA MODA

HACO LANÇA SÉRIE DE VÍDEOS VOLTADOS AO MERCADO DA MODA

Novas ideias de mercado. Inovação. Comportamento. Com esse conceito nasce a série de conteúdos no Youtube +Haco, voltada à criação de conteúdo para o mundo da moda. O primeiro episódio da série será lançado no próximo dia 23.

No primeiro tema, será abordada a importância da indústria da moda investir na identificação de qualidade de uma peça. E como esse cuidado gerará aumento na percepção de valor para o cliente final. A cada mês será lançado um novo tema, que será dividido em dois episódios.

Para o gerente de Marketing da Haco, Bruno Brandão, a intenção é inovar na forma de entregar conteúdo e contribuir para que os clientes tenham ainda mais sucesso em suas vendas. “A Haco está investindo pesado na geração de conteúdo. Estamos constantemente evoluindo a forma de trazer conteúdos aos nossos clientes e nutrir o mercado com informações relevantes do mercado de maneira prática e dinâmica.”

Os vídeos contarão com entrevistas e percepções dos consumidores finais e clientes de Norte a Sul do país. “A Haco mergulhará em diversos temas para trazer conteúdo idôneo e a voz do mercado. Assim, diretores, estilistas e compradores de marcas poderão assistir e usar os insights em seu dia-a-dia”, afirmou Brandão. 

Fique por dentro
Para assistir os conteúdos, basta se inscrever no canal da Haco no Youtube: e clicar no sino para receber notificações sempre que um novo vídeo for publicado.

Identificação de moda
Haco tem 90 anos de história, com trabalho a serviço da moda e entrega produtos como etiquetas, adesivos, tags, cadarços, lacres, tecidos Jacquard e embalagens. Com isso, tornou-se uma empresa mundialmente reconhecida pela capacidade criativa, tecnológica e fabril.  A longa trajetória fez crescer na empresa o desejo de apoiar o mercado nacional e seus criativos, estar lado a lado com os principais estilistas e apoiar novos talentos.

GERAÇÃO ALPHA: 3 DICAS PARA CONQUISTAR OS FUTUROS CONSUMIDORES

GERAÇÃO ALPHA: 3 DICAS PARA CONQUISTAR OS FUTUROS CONSUMIDORES

A geração Alpha chegou e está sacudindo o universo da moda, promovendo inquietude na indústria, quase que um movimento frenético em busca de renovação para acompanhar a nova leva de consumidores.

Todos nascidos após os anos 2000’ são considerados Alpha e vão se tornar a maior porção de consumidores do mundo em menos de dez anos. Mas qual é a diferença entre os Millenials (geração de atuais jovens adultos) e os Alphas? A resposta é simples. Tecnologia.

Diferente das gerações anteriores onde a grande maioria simplesmente usou a tecnologia, os Alphas nasceram inseridos em uma sociedade dominada por ela, crescem dentro desse universo e para eles tudo é perfeitamente natural, desde jogar um game no tablet dos pais até interagir com realidade virtual. E grande parte deles não irá penas fazer uso das novidades tecnológicas, irão cria-las e integrá-las as suas vidas.

Como resultado da nova relação com o fator tecnológico temos crianças mais despertas e inteligentes, que são conectadas a tudo que as cercam e conquistam em pouco tempo a habilidade de decisão de compra, assim tornando-se consumidores muito jovens.

Sabendo que as crianças de hoje são os consumidores de amanhã, devemos estar preparados para suprir as necessidades dessa nova geração. Estamos seguindo para uma era de intensa criatividade e solidariedade, principalmente a favor do coletivo. O futuro nunca foi tão promissor e desafiador.

Para inteirar você sobre o como isso tem se desenvolvido na moda, separamos 3 tendências de mercado que são pensadas para a geração Alpha.


– Menos aparência, mais conteúdo

A galera da nova geração não é muito fã de exposição na web, diferente dos Millenials.

Falando em consumo de conteúdo, para eles o que vale é o que irão aprender, a relevância que o assunto tem em suas vidas e como ele é apresentado. Esqueça o conteúdo datado como conhecemos onde as informações são inquestionáveis e as fontes duvidosas. Você está lidando com a geração que antes de pensar pergunta para o Google, e o que vai diferenciar você dos concorrentes é a forma como irá apresentar seu conteúdo, por isso aposte em um formato de conteúdo interativo e com qualidade.

Como exemplo temos a empresa Layar, que aplica a realidade aumentada para dinamizar o conteúdo dos seus clientes, usando a câmera do smartphone. Você pode inserir animações em seu blog, aplicativo, em revistas impressas e produtos.


Na primeira imagem vemos o anúncio exposto de forma convencional apenas com a foto e a chamada da campanha, método que acaba passando despercebido na maioria das vezes. Já na segunda imagem temos a visão da tela do celular de um usuário do software Layar, a animação proposta leva o cliente direto para o site da loja, onde ele pode visualizar os produtos e efetuar a compra em alguns cliques.

O que esse software oferece? Interatividade e experiência de consumo, e isso faz a cabeça dos Alphas.


– Verdade absoluta:


Não dá para manipular por muito tempo um Alpha, eles são stalkears natos e de um jeito ou de outro, vão descobrir se a sua marca é o que realmente diz ser.

Assumir uma identidade de marca genuína e transparente é fator chave para fidelizar um cliente dessa geração, é necessário que o universo da marca seja coerente e tenha um discurso que fale diretamente com eles.  Os ideais dessa nova geração são muito fortes, e é interessante entender e participar desses movimentos, mas lembrando que essa inserção tem que ter relação com a sua ideologia de marca.

A Farm está seguindo esse caminho, ao perceber que as novas youtubers são ativistas de várias causas desde o movimento minimalismo, até o veganismo, ela busca se comunicar com a nova clientela: “Agora todo mundo é emissor e dialoga. Vamos nos tornar marcas melhores por causa da pressão dessa geração.” É o que afirma Taciana Abreu, head de marketing da Farm, grife que está constantemente na mira dessa juventude.


– Des-generalizar:


Estamos caminhando para uma nova sociedade, e quem abre as portas paras as novas possibilidades são definitivamente os Alphas. Essa geração tem os conceitos de feminino e masculino muito mais diluídos do que os Z e os Y. É o começo de um mundo totalmente novo, para o qual a moda deve se transformar profundamente.

Uma questão não dá mais para ignorar, é a igualdade de gênero. Os produtos não fazem sentido para eles da mesma forma que para as gerações passadas, um exemplo é a indústria de games, onde a maior parte dos consumidores é composto por garotas, e ainda assim tem um conteúdo altamente votado para garotos. Temos que entender que a diferença de gêneros não é mais uma barreira para essa geração, e que produtos devem ser feitos para todos consumirem.

Ser livres de rótulos é um dos maiores desejos da Gen Alpha, na moda eles já misturam esses conceitos sem nem precisar discutir, o ator  Jaden Smith é um bom exemplo, ao usar com em seus looks saias, criando um visual quase que andrógeno. Ele acabou naturalmente se tornando ícone nesse quesito, chegando a estrelar campanhas de femininas de marcas de grife como a campanha de verão 2016 da linha feminina da Louis Vuitton

O FUTURO DA MODA COM A TECNOLOGIA E POR QUE DEVEMOS ESTAR ATENTOS A ESSA DUPLA

O FUTURO DA MODA COM A TECNOLOGIA E POR QUE DEVEMOS ESTAR ATENTOS A ESSA DUPLA

Muito embora a moda e a tecnologia sejam percebidas como campos completamente distintos, os dois sempre se cruzaram – geralmente para o melhoramento de ambas as indústrias.


À medida em que a modernização avança, cada geração contínua da tecnologia torna-se mais pessoal, e os wearables portáteis, como por exemplo os Smart Watches, já fazem parte de um presente bem palpável. No entanto, muitos dispositivos, passados e presentes, estão cheios de um estigma nerdy”, e se a tecnologia for posta em você, é provável que você não queira  parecer um cyborg”.


Apesar das tentativas de flerte com o mundo da moda, a aparência futurista do Google Glass , por exemplo, foi amplamente divulgada, como se fosse ridículo demais para ser usado por alguém fora de um laboratório.
Por outro lado, como resultado de sua campanha de design e promoção, o Apple Watch tem sido um dos bem sucedidos no mercado, com uma versão de design mais atraente, já agrada o público em geral , porém para muitos, ainda é visto como um brinquedo para adultos.


Então, como se pode aproveitar essas inovações sem parecer que você saiu de uma convenção de Star Trek?
E sobre a infinidade de possibilidades que a tecnologia vem trazendo para a experiência do varejo?
Aqui estão 6 considerações que ajudarão a tirar o máximo proveito da conveniência e dos benefícios oferecidos pelo casamento entre a moda e a tecnologia.


Invisibilidade

Não é o superpoder, mas quase. Neste âmbito, a invisibilidade se refere a tecnologia que você não pode ver ou sentir.
O OMsignal, por exemplo, é um fio de nova geração que é tecido em roupas e tem a capacidade de monitorar seu coração, taxa de respiração, contar seus passos e calorias queimadas.

Da mesma forma, o Projeto Jacquard liderado pela Google, transforma roupas e móveis em superfícies interativas através do fio especialmente projetado para ser similar em todos os aspectos aos fios que compõem os tecidos tradicionais.

Joalheria

Aqui estamos além do Apple Watch, que além de suas capacidades de monitoramento de saúde, não é nada mais que uma ferramenta de notificação.


Ao firmarem parcerias com estilistas, as empresas de tecnologia podem atrair um público muito mais amplo.
Observe a colaboração de Tory Burch com a Fitbit. O projeto da pulseira em metais nobres e couro transformam um rastreador de atividades em um acessório elegante apropriado para a vida fora da academia.


Então, surge a Ringly, uma linha de anéis e jóias clássicas que se conectam ao telefone via Bluetooth e que o notificam sutilmente quando você recebe um texto ou uma chamada. A vibração discreta e a luz lateral não interferem em situações sociais e evitam que você cheque seu telefone a cada cinco minutos para ver se alguém ligou.



Já a Chronos projetou um pequeno disco de metal que transforma qualquer relógio em um smartwatch. Apenas 33 mm de diâmetro e 2,5 mm de espessura, adere à parte de trás do seu relógio e traz uma variedade de características de smartwatch com ele. Perfeito para alguém que esteja procurando a experiência do smartwatch sem os olhares curiosos.

Impressão 3-D e 4-D

Obviamente, você já ouviu falar sobre impressão 3-D. O processo de criação de objetos sólidos tridimensionais a partir de arquivos digitais.


A capacidade de imprimir quantidades específicas em casa ou a poucos quarteirões de distância remove a produção em massa e a logística da cadeia de produção, potencialmente tornando-se um tipo de fabricação mais ecológico.
O estúdio de design de vestuário e joalheria de Massachusetts Nervous System atualmente é pioneiro na chamada impressão 4-D com projetos que automaticamente mudam de forma logo que saem da impressora. Pode-se imaginar as infinitas implicações que esta tecnologia pode trazer para outras indústrias.

Responsabilidade social

Construir um senso de responsabilidade social tornou-se uma tendência entre muitas start-ups digitais de moda. Embora grandes marcas façam um esforço para devolver algo à sociedade, suas tentativas podem ser vistas como estratégia de marketing se a filantropia não estiver no centro de seu modelo comercial.


O revendedor de óculos Warby Parker prioriza a consciência social em todos os níveis do negócio. Ao contornar canais tradicionais, projetar localmente e se envolver diretamente com os clientes, eles são capazes de oferecer óculos de alta qualidade a preços acessíveis. Em escala global, Warby Parker calcula o faturamento mensal de óculos e parte do montante é doado a organizações sem fins lucrativos parceiras que treinam pessoas nos países em desenvolvimento para fornecer exames oftalmológicos básicos e vender óculos às suas comunidades a preços acessíveis.

Sustentabilidade

Estima-se que quase 13.1 milhões de toneladas de roupas são jogadas fora por ano. – uma quantidade assustadora de lixo. Aplicativos como Depop e Poshmark permitem aos usuários comprar e vender roupas usadas e tornar o processo de passar a roupa adiante algo divertido e simples.

CONVENÇÃO DE VENDAS DA HACO DEBATE MERCADO DA MODA E LANÇA TENDÊNCIAS

CONVENÇÃO DE VENDAS DA HACO DEBATE MERCADO DA MODA E LANÇA TENDÊNCIAS

Debater o mercado da moda, alinhar metas para 2019 e apresentar o novo Book de produtos. Com enfoque nestes três objetivos aconteceu o Big Connect, a Convenção Nacional de Vendas da Haco, em um Resort na cidade de Santo Amaro da Imperatriz (SC). O evento reuniu mais de 150 representantes comerciais do Brasil e de países da América Latina, como Chile, Argentina e Bolívia e contou com a presença de vários palestrantes de renome nacional.

No segundo dia do evento, que aconteceu entre 17 e 19 de fevereiro, foi apresentado o novo conjunto de Books de produtos. Desta vez, o trabalho da Haco foi desenvolvido em parceria com o estilista Alexandre Herchcovitch, embaixador da marca. O resultado dessa troca de experiências foi a concepção de mais de 400 produtos ainda mais conectados, tanto com o mercado brasileiro, quanto com as tendências mundiais. Novas matérias-primas, diferentes conceitos e aplicações inspiradoras estão reunidas no Book Haco 2019, dividido em nove segmentos.

Para Herchcovitch, o projeto desenvolvido em parceria com a Haco foi um importante desafio. “Inovar é pensar diferente o uso de certos tipos de tecnologia e matérias-primas. Sair do lugar-comum e, com um toque de ousadia e humor, inovar. Sem a equipe da Haco, tudo isso não seria possível”, afirmou.

Na avaliação do gerente de Marketing, Bruno Brandão, a empresa participa ativamente de uma nova fase da moda brasileira: “Celebramos uma época de muito crescimento e de transformação de produtos, que cada vez mais deixam de ser orientados por preço, e vivemos a era da geração de valor. Estamos prontos para auxiliar nossos clientes a ampliarem valor em seus produtos e se destacarem ainda mais”, afirmou. No próximo mês o Book será apresentado ao mercado brasileiro em eventos que acontecerão nas principais capitais do país.

O Gerente Nacional de Vendas da Haco, Marcelo Paulino, enfatizou que o ano de 2019 será o ano do forecast: “Antes de completarmos o segundo mês de 2019 alguns de nossos maiores clientes nos chamaram para alertar que cresceram em taxas muito superiores aos anos anteriores. Teremos que estar mais próximos dos nossos clientes para melhorar o nosso nível de serviço”, explica.

Nesta convenção a Haco celebrou os números de crescimento de 2018 e também premiou os vendedores que se destacaram com surpresas que foram reveladas na hora da premiação. Os ganhadores saíram da convenção em dois helicópteros e participaram de um passeio de lancha pela região do Caixa D´aço, na cidade de Porto Belo.

Conteúdo de qualidade
A Convenção de Vendas também entregou conteúdo de qualidade aos participantes. A ideia, segundo Brandão, é fornecer insights que possam ser utilizados pelas equipes no relacionamento com os clientes e prospecção de novos mercados. O vendedor e palestrante Ciro Bottini, a estilista e fundadora da Agência Trendsett, Tamara Sbroglio, o ator e dramaturgo Marcio Ballas e o gerente de Marketing da agência TW Viagens, Willian Villain trouxeram novidades sobre o mundo corporativo durante os três dias do evento.

A equipe também celebrou a entrega da terceira versão do aplicativo (APP) mobile, comemorou os primeiros números do Projeto +Haco na plataforma Youtube e entregou a edição nº 10 da revista Trend House.