0800 70 45670 [email protected]
6 dicas para melhorar a gestão do tempo de sua equipe de moda

6 dicas para melhorar a gestão do tempo de sua equipe de moda

Quem trabalha com criação às vezes precisa deixar a mente voar – mas o problema é quando ela voa demais. E gerenciar uma equipe de moda é criar condições de produtividade criativa sem deixar que as pessoas sejam seduzidas pelas distrações.

Esse limite tênue nem sempre é fácil de ser alcançado. Mas algumas dicas de gestão de tempo podem ser valiosas para alcançar seus objetivos e gerir o esforço dedicado a cada tarefa – sem sobrecarregar a equipe de moda.

Ao contrário do senso comum, a gestão de tempo não se trata de controle, mas sim de estratégia. E ela passa tanto pela equipe de moda como pela avaliação de suas próprias ações como gestor, aparando arestas e eliminando os vilões da improdutividade.

Com uma visão ampla e livre de preconceitos, veja o que mais atrapalha a produtividade da sua equipe de moda e como acabar com essa verdadeira pedra no sapato.

1 – Agilize a rotina da equipe de moda eliminando o excesso de reuniões

Manter o pessoal alinhado com o andamento da coleção é fundamental, mas será que você não está exagerando na quantidade de reuniões? Quantas delas você convoca por dia ou por semana?

Reportagem da revista Exame, por exemplo, diz que apenas 39% do tempo de trabalho é realmente produtivo. E nada menos que 21% da jornada é ocupada com reuniões.

Uma boa dica para manter a atualização da equipe de moda sem perder tempo reunindo todo mundo é apostando em um mapa de coleção de moda. Bem mais prático e eficiente.

2 – Procure antecipar problemas

Fazer uma boa pesquisa de moda, conhecer bem seu público-alvo e descobrir as dificuldades e as soluções de outros profissionais pode ser uma ótima forma de antecipar problemas.

Uma forma muito interessante e eficiente de fazer isso é assistindo a alguns filmes de moda, por exemplo, onde você com certeza encontrará situações bem parecidas com as que você pode enfrentar.

Aproveite e crie alguns braintorms para buscar soluções padronizadas para os problemas mais comuns e crie padrões de atendimento ao cliente. Crie canais de comunicação eficientes, desenvolva materiais de identificação de marca com dicas pertinentes.

Lembre-se que a tecnologia é sua grande amiga e pode incluir informações valiosas para seus clientes nas etiquetas, por exemplo.

3 – Crie prioridades

Por maior que  o trabalho de uma equipe de moda seja basicamente criativo, nunca a deixe “solta”. Aprenda a fazer uma gestão de tempo criando prioridades, estabelecendo metas e prazos.

Use uma regrinha básica:

  • Alta prioridade – São as atividades inevitáveis. Devem ser feitas o mais rápido possível. São também aquelas que criam diferenciais na sua coleção de moda para agregar valor ao consumidor final.
  • Média prioridade – São as que não comprometem a execução das atividades de alta prioridade. Podem ficar em segundo plano, mas devem ser feitas tão logo possível.
  • Baixa prioridade – Não são essenciais, podem ficar por último ou até mesmo não serem feitas. Podem acrescentar algo, mas não fazem falta.

Mas procure saber o tempo certo de cada atividade, para não sobrecarregar a equipe de moda. É preciso identificar quais atividades merecem um esforço maior, qual etapa da coleção vai demandar mais tempo ou pode ser terceirizada.

4 – Terceirize sempre que possível

E já que tocamos no assunto, sim, terceirize sempre que possível. Muitas vezes a equipe de moda perde um tempo valioso fazendo uma atividade que será melhor e mais rapidamente desenvolvida por pessoal terceirizado e especializado. E tempo é dinheiro.

É o caso do pack de identificação de marca, por exemplo. A Haco oferece profissionais especializados em criar todas as peças de acordo com o mote da sua coleção e sub coleções, com os mais diversas matérias-primas.

5 – Não confunda funcionário multitarefas com proativo

Esse é um erro comum: confundir aquele funcionário que faz tudo ao mesmo tempo com um colaborador proativo.

O multitarefas, na verdade, perde o foco do que interessa e acaba reduzindo em até 40% a produtividade da equipe – é o que mostra pesquisa da American Psychological Association (APA).

De acordo com a APA a alternância entre diversas tarefas todos os dias não é natural do cérebro, elevando o estado de estresse e fadiga mental.

6 – Experimente o home office e a flexibilização de horários

Há várias funções dentro de uma equipe de moda que podem ser realizadas de forma remota graças à internet. Aposte na flexibilização de horários, já que muito do processo criativo pode ser feito em home office, sem que o membro precise estar 100% do tempo na sua empresa.

E nem precisa ser todos os dias, você pode definir o calendário que for melhor para você. Além da melhor gestão de tempo e produtividade da equipe de moda, já que alguns membros podem render mais trabalhando em casa, também há economiza de custos com transportes, alimentação, etc.

Há várias formas de fazer uma gestão de tempo eficiente aumentando a criatividade produtiva da sua equipe de moda – e essas são apenas algumas delas.

Aproveite e veja também como engajar sua equipe no processo de criação da sua coleção de moda!

Baixe nosso infográfico e descubra como tornar suas coleções de moda muito mais especiais com os pack de identificação de marca da Haco! | Haco

Como a cor Pantone Classic Blue pode inspirar suas coleções de moda

Como a cor Pantone Classic Blue pode inspirar suas coleções de moda

A escolha das cores é um dos primeiros passos que um estilista dá quando vai desenvolver suas coleções de moda, não é mesmo? As inspirações podem vir de diversos lugares: viagens de pesquisa de moda, filmes, livros, e até mesmo a natureza, que possui uma imensidão de tonalidades a ser exploradas pelos criativos. 

Uma das principais inspirações atualmente é a Pantone, que anualmente lança uma nova tendência de cor: em 2020 a queridinha é a Pantone Classic Blue 19-452, um azul sereno e elegante.

Mas como esta cor pode inspirar você em suas criações? Continue lendo este blog post e iremos te mostrar como transformar uma inspiração de cor, como a Pantone Classic Blue 19-452, em muitos insights poderosos para você utilizar no seu dia-dia de trabalho.

Estudar antes de escolher a cor principal de sua coleção é o primeiro passo. Durante a montagem do seu mapa de coleção de moda, pense em quais cores você deseja que sejam predominantes em suas coleções e o que significam aos olhos de seus clientes. Troque ideias com seus colegas e envolva toda a equipe neste processo.

Aprofundar-se em Psicologia das Cores, estudo que busca compreender o comportamento humano em relação às cores, é uma boa dica. Abaixo reservamos algumas dicas sobre como utilizar o Pantone Classic Blue com inspiração para seu trabalho de moda:

Pantone Classic Blue, uma cor de paz e serenidade

A cada ano a Pantone surpreende com suas apostas de cor. Em 2020 a queridinha tornou-se a Classic Blue 19-452, que é identificada pela nossa psique como cor tranquila, que traz paz e serenidade, oferecendo uma sensação de proteção ao espírito humano. 

Segundo o site da Pantone, impacta sobre a concentração, trazendo uma claridade igual a um laser. “Nos leva ao equilíbrio dos pensamentos. Uma cor azul refletiva, Classic Blue cria a resiliência”, afirma a marca

A Pantone Classic Blue 19-452 transmite versatilidade, pois pode ser utilizada em texturas, acabamentos e revestimentos brilhantes. O que é definido pela Pantone dita moda no mercado da moda, automobilístico, de decoração e imobiliário. 

Como a cor Pantone Classic Blue pode inspirar suas coleções de moda | Haco

Mas e qual o significado da cor azul?

Você deve estar se perguntando qual o significado da cor azul – e todas as suas nuances – e como este conhecimento pode te auxiliar no desenvolvimento de suas novas coleções. O azul simboliza sentimentos relacionados à fé, espiritualidade, lealdade e paz. 

Também é relacionado à estabilidade, harmonia e confiança, de acordo com compilado realizado por especialistas do No Film School.

Como a cor Pantone Classic Blue pode inspirar suas coleções de moda | Haco

Inspiração para o mercado da moda

De acordo com a WGSN, maior portal de pesquisa sobre tendência de moda, os tons puros e ousados de azul são uma tendência em alta no mercado dos EUA. 

A cor azul-raio é uma das mais inovadoras, especialmente na moda jovem feminina. As roupas nas cores de azul-cobalto tiveram um aumento de presença de considerável nos últimos tempos. 

Tudo mostra que o azul não saiu de cena e está cada vez mais forte: as pesquisas divulgadas em 2018 foram reforçadas pela Pantone, que apostou na Classic Blue em 2020.

Como a cor Pantone Classic Blue pode inspirar suas coleções de moda | Haco

Classic Blue dominando as decorações de ambientes

Quem trabalha com planejamento de moda sabe que as inspirações para as próximas coleções surgem de diversos lugares, inclusive da arquitetura. O site Casa Vogue aposta que a cor Classic Blue promete ficar em evidência nas paredes de diversos ambientes da casa e também pode invadir móveis e objetos de design. 

Vem combinada com uma base mais dark, usando paredes escuras e contraste com elementos mais claros, como almofadas.

Está mais do que claro que a Pantone Classic Blue veio para ficar! Portanto, use e abuse de sua criatividade para desenvolver roupas, acessórios e demais produtos de moda. A versatilidade da cor dá asas aos estilistas que desejam propor novas formas e conceitos ao mercado. 

As identificações de marca também precisam estar alinhadas com a paleta de cores da coleção. Clique aqui, baixe nosso material, e saiba mais sobre o pack de identificação de marca da Haco.

Baixe nosso infográfico e descubra como tornar suas coleções de moda muito mais especiais com os pack de identificação de marca da Haco! | Haco

Haco apresenta RFID no evento Retail Trends Pós NRF

Haco apresenta RFID no evento Retail Trends Pós NRF

A Haco RFID participará do evento Retail Trends Pós NRF, que acontece em São Paulo (SP) no dia 6 de fevereiro. O encontro tem o objetivo de democratizar os principais aprendizados obtidos durante a NRF Retail’s Big Show, o maior encontro de varejo das Américas, realizado em Nova Iorque. O evento acontecerá em diversas capitais brasileiras, como Rio de Janeiro, Salvador, Curitiba, Recife e Porto Alegre.

O evento que acontecerá este ano no centro de convenções Expo Center Norte traz um conteúdo exclusivo sob a curadoria dos especialistas do Grupo GS& que estiveram em Nova Iorque e traduzem para o público nacional a melhor forma de aplicar as tendências e novidades mundiais na realidade brasileira. 

Os consultores do Retail Trends Pós NRF apresentarão uma análise comparativa com o que já existe no mercado nacional e o que pode ser adaptado à realidade brasileira.

“Fazer parte deste evento é uma satisfação para nós, principalmente por se tratar de um dos maiores encontros de varejo do Brasil, que debate temas importantes levantados em Nova Iorque.

Apresentaremos a tecnologia RFID, que proporciona diversos benefícios nas áreas de logística, indústria e varejo”, antecipa o gerente de Marketing da Haco, Bruno Brandão.

Tecnologia RFID

Apresentaremos no evento o RFID (Radio Frequency Identification), um sistema de controle e gerenciamento de produtos por rastreamento do sinal de radiofrequência.

As aplicações do RFID não se restringem à identificação, locação e controle de produtos para otimizar a gestão de estoque. Na moda, por exemplo, a etiqueta RFID inibe a falsificação, garantindo a qualidade do produto que chega às mãos do consumidor.

A tecnologia RFID garante um melhor serviço ao consumidor, precisão de praticamente 100% no controle do estoque e um aumento de receita devido ao corte de desperdícios e furtos. O RFID promove ganhos em setores como indústria, varejo e logística.

Para saber mais, acesse o site: https://hacorfid.com.br/

Informações sobre o evento

Data: 06/02, das 9 às 18h

Local: Centro de Convenções Expo Center Norte, São Paulo (SP)

Mais informações: http://www.retailtrends.com.br/saopaulo/

Saiba como estruturar um mapa de coleção de moda

Saiba como estruturar um mapa de coleção de moda

Metodologia. Quem pensa que moda e design sobrevivem apenas de intuição e bom gosto muito se engana. É preciso estratégia para buscar os caminhos mais assertivos e colocar ideias e inspirações em prática. E o mapa de coleção de moda é a ferramenta certa para isso.

Afinal, o sucesso é um degrau difícil de ser conquistado e que deve ter por base uma sólida estrutura para ser duradouro. Veja o que é, por que é tão importante e como montar seu mapa de coleção de moda e fazer diferença no mercado.

Enfim, o que é um mapa de coleção de moda?

Toda coleção de moda passa por etapas para chegar ao seu formato final. Todo o processo, desde a criação até a finalização, deve seguir uma ordem cronológica para que o caos não seja instaurado.

Com isso evita-se perda de tempo com retrabalhos e idas e vindas a pontos que não têm necessidade de serem revisitados.

Assim, o mapa de coleção de moda é uma espécie de receita para a elaboração do produto. E, como toda boa receita, cada um tem a sua.

De um modo geral, no entanto, algumas ações são comuns a todos, mais ou menos como escolher, comprar, lavar, cortar, cozinhar e montar os pratos.

Ou, em outras palavras, planejar, pesquisar, delimitar o projeto, criar, negociar, criar alternativas, avaliar, produzir, elaborar, criar mostruário, precificar, divulgar, vender etc.

Seja qual for o nome, o importante é compreender a ordem das etapas e quais os processos que as formam.

Benefícios do mapa para a coleção de moda

Mas afinal, será que ele é assim tão importante mesmo? O mapa de coleção de moda traz algumas vantagens que podem parecer despercebidas a princípio.

  • Maior controle sobre a coleção – Já parou para pensar quantas informações precisam ser reunidas em uma única coleção? Cores, aviamentos, estampas, mixes, tecidos, tudo isso em torno de uma mesmo tema.

O mapa de coleção de moda propicia uma verdadeira imersão em todos esses processos, permitindo uma visualização clara de todos os detalhes.

  • Mais assertividade nas definições – Como tudo fica exposto, a visualização antes da produção favorece substituições estratégicas, composição de peças casadas, criação de similares e até trocas de características que não atenderam à expectativa.
  • Economia na produção – Pilotagem pronta e há várias peças que estão fora do escopo? Sim, isso acontece. Mas quando há um mapa de coleção de moda os erros são mais visíveis antes da confecção das peças piloto.
  • Mais tempo no final do processo – É possível que a princípio você gaste um pouco mais de tempo alimentando o mapa tanto com ideias iniciais como com novas informações ao longo do caminho. Com o andar da metodologia, no entanto, a assertividade das ações agilizará o processo como um todo. O tempo é dinheiro.

Processos para elaborar seu mapa de coleção de moda

O nome das etapas não importa, mas é importante que sigam uma ordem cronológica que seja embasada por alguns processos.

  • Conhecimento mercado – Sua marca está inserida em um determinado ambiente. Quais são seus concorrentes? Qual a aceitação deles no mercado, o que oferecem como diferenciais? Qual o seu diferencial? Você está segmentado? Como pode ir além do comum e oferecer o que o seu nicho precisa?
  • Persona da marca – Como seus clientes de verdade se comportam? Quais suas dores, o que precisam, o que procuram? Crie personas para sua marca e procure descobrir como entregar soluções.
  • Reúna referências visuais – O mapa de coleção de moda é, basicamente, visual. A ideia é atingir o maior número de pessoas dentro daquele perfil. Para isso, defina tema e subtemas e coloque referências visuais de como quer apresentar sua coleção de moda ao mundo.

Faça um moodboard, ou painel de inspiração, com todas as referências visuais que têm a ver com o que quer para a sua coleção: cores, texturas, acabamentos, cortes, aviamentos, materiais de identificação de marca etc.

  • Monte um cronograma de ações – Esse é um passo decisivo para seu mapa de coleção de moda. Especifique a ordem de execução e os prazos de finalização de cada etapa. Imagine situações hipotéticas para tentar prever contratempos.
  • Resultados monitorados sempre – Não esqueça: todos os membros da sua equipe devem ter acesso ao mapa de coleção de moda e estar de acordo com o cronograma. Promova reuniões regulares para que todos saibam sobre o andamento dos processos e esteja sempre aberto a propostas. Afinal, a equipe é fundamental para uma coleção de sucesso.

Dessa forma o mapa de coleção de moda o ajudará a ter resultados bem mais assertivos em menos tempo, colaborando para um trabalho criativo e participativo de toda a equipe.

E já que estamos no assunto, aproveite para saber mais sobre como engajar sua equipe no processo de criação da sua coleção de moda!

 Baixe nosso infográfico e descubra como tornar suas coleções de moda muito mais especiais com os pack de identificação de marca da Haco! | Haco

Os melhores cursos para quem busca qualificação na moda e design

Os melhores cursos para quem busca qualificação na moda e design

Transformar a paixão por moda e design em profissão pode render ótimos lucros. No entanto, como para praticamente qualquer outra coisa na vida, é preciso muito estudo e dedicação.

Por isso, por mais que você siga sua intuição e tenha seu próprio estilo, a qualificação em moda e design é fundamental, principalmente em um mercado cada vez mais competitivo.

Não sabe o que fazer nem por onde começar? Aqui você vai encontrar 13 cursos top para quem quer realmente fazer diferença e deixar sua marca no mundo fashion.

1 – Bacharelado em Moda – Tradicional e amplo

Ideal apara quem quer estar por dentro de todos os processos do mundo fashion o bacharelado capacita com conhecimentos amplos.

No curso, de 4 anos, são dadas disciplinas como Ilustração, Estética, Tecnologia para compreender melhor processos como vendas e controle de estoque, planejamento, criação e muito mais.

2 – Design de Moda – Rápido e focado

Ao contrário do anterior, o curso tem grau tecnológico, por isso é mais curto (2 anos) e especializado. Nele as atividades buscam ser mais práticas, mas também engloba áreas como processos de fabricação, desenvolvimento de produtos, corte e costura, estampas, modelagem e análise de tendências.

3 – Fotografia também tem a ver com moda e design

Quem gosta mesmo de moda e design sabe o quanto a imagem é importante. O curso de Fotografia, que também dura quatro semestres, deixa o aluno preparado para atuar em levantamento de tendências, pesquisa de moda, registros de materiais, publicações especializadas, etc.

4 – Engenharia Têxtil: de olho em novas tecnologias

Moda e design começam muito antes – e longe – das passarelas. Nessa graduação, o engenheiro têxtil se especializa na fabricação dos tecidos, está sempre de olho nas novas tecnologias para o desenvolvimento de produtos e tratamento das fibras.

É dele também que surgem grandes pegadas sustentáveis para o reaproveitamento de resíduos têxteis, por exemplo.

5 – Marketing – Moda e design para além da catwalk

Nem todo mundo que ama moda e design quer focar nas passarelas. Para muita gente é o entorno que encanta.

Lidar com o público, criar campanhas específicas para eventos, promover o setor, divulgar novas coleções, entender melhor para melhor atender o consumidor.

Seja bacharelado ou tecnólogo, quem faz Marketing adquire conhecimentos em gestão, sociologia, economia e comunicação, e claro, entre outras áreas.

6 – Design de Produto, um verdadeiro especialista

Traduzir as necessidades do seu público-alvo em peças reais é o sonho de qualquer pessoa que se envolve com moda e design.

Nesse caso, o designer de produto é um verdadeiro especialista que utiliza um mix de arte, técnica e tecnologia para criar peças que unam beleza, funcionalidade, sustentabilidade e ergonomia.

E o que não faltam são áreas de trabalho, dos departamentos de criação aos escritórios de design.

7 – Administração de Empresas

“Como assim?”, você deve estar pensando. Mas é isso mesmo, o bacharelado de Administração de Empresas também tem tudo a ver com moda e design.

Afinal, é preciso entender do assunto para gerir (bem) uma empresa, com um conteúdo bem alinhado às demandas do setor.

Ótima opção para quem adora estratégias para fechar patrocínios, consolidar sua identificação de marca e criar novas oportunidades.

8 – Moda e design em estamparias

Já pensou em criar sua própria estampa? Muitas marcas famosas em moda e design se destacam no mercado justamente pela criação de estamparias próprias.

Há vários bons cursos no mercado, onde mesmo quem não sabe desenhar liberta a imaginação e a criatividade para elaborar suas próprias estampas.

9 – Corte e costura: mão na massa

Para muita gente moda e design se traduzem em colocar a mão na massa. E é claro que é um diferencial saber fazer antes de saber mandar. Por isso os cursos básicos de corte e costura são uma ótima porta de entrada para o mundo fashion.

Neles, além das primeiras noções em estilismo e moda, você aprende ainda a identificar, escolher, comprar, preparar e cortar tecidos, a fazer acabamentos variados e a determinar as melhores agulhas para cada criação.

10 – Consultor de moda: ajudando a desenvolver estilos

O mundo da moda e design é um vasto conglomerado de áreas – e uma delas é justamente a consultoria. Se você tem estilo, ama criar novas combinações e tem sensibilidade para traduzir personalidades em vestuário, o curso é para você.

A área cresce a cada dia e o curso dá um conhecimento sólido para embasar suas orientações aos seus cientes. Além disso, como é um curso livre, não é preciso nenhum pré-requisito para participar.

Cursos de moda e design no exterior ampliar ainda mais horizontes

Que tal um bônus para criar ainda mais diferenciais no mercado? Há vários cursos de moda e design no exterior, mas aqui nós decidimos citar apenas alguns dos ultra top:

11 – Amsterdam Fashion Institute

Criado em 1952, o Amsterdam Fashion Institute (Amsterdam) é um dos mais conceituados e cultuados formadores de profissionais em moda e design do mundo. Recentemente o Instituto criou o primeiro mestrado do mundo focado em empreendedorismo de moda circular, em parceria com o Circle Economy e Fashion for Good.

12 – Parsons (Nova York)

Com dois programas de graduação, dois de pós e vários cursos de moda e design básicos, basta dizer que entre os ex-alunos do Parsons estão nomes como Marc Jacobs, Donna Karan, Alexander Wang, Tom Ford, e Narciso Rodriguez.

13 – Fashion Institute of Technology (FIT – Nova York)

O Fasion Institute of Technology (FIT) oferece nove cursos de graduação, seis de pós, dezenas de certificações para educação continuada e vários cursos de verão em moda e design.

Apesar de ser um dos melhores do mundo, o FIT é considerado bastante acessível. Por ele passaram nomes como os de Calvin Klein, Michael Kors e Nanette Lepore.

E então, pronto para alçar voo em moda e design? Aproveite e confira tudo sobre como fazer seu planejamento da sua viagem de pesquisa de moda e decole!

Baixe nosso infográfico e descubra como tornar suas coleções de moda muito mais especiais com os pack de identificação de marca da Haco! | Haco